Blogger Template by Blogcrowds

Sobre o amor

SE ERA POUCO... NÃO ERA AMOR

Seria possível amar alguém, de verdade, e esse amor, com o tempo, acabar?

Eu, realmente não creio ser isso possível. Ao contráro da cantiga de roda (o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou), penso que não é possível quantificar o amor. Amor não pode ser pouco ou muito. É amor, apenas.

Então, porque o amor "acaba"? Porque os apaixonados de ontem se convertem em solteiros, alguns profundamente amargos, no hoje? Ah, esses apaixonados... vivem de acordo com a letra de Lupicínio: "você sabe o que é ter um amor, meu Senhor? Ter loucura por uma mulher?"

Paixão. Loucura. Ser capaz de morrer por alguem, como alguns que conheci e que, literalmente morreram... não. Paixão ou loucura ou outra denominação que se dê é paixão, loucura ou outra denominação. Não é amor.

Então, permito-me perguntar: "o que é o amor?"

"Ah, o amor, aiai, amor, bobagem que a gente não esquece, aiai", cantava Ary Barroso. Então o amor é uma bobagem? Mas se é bobagem, não tem importância... eu não sei o que é o amor. Mas, talvez o amor deva estar no nível de simplicidade ao qual relegamos as bobagens.

E, sendo simples... ai é que são elas! Ficou difícil.

Mas, difícil porque a gente o faz difícil. E se o fizermos ficar mais fácil? Lembro-me do Dr. João, um amigo que, com a esposa doente, necessitada de cuidados diários de sua parte, disse-me, certa vez, devotar-lhe o mais profundo amor. E abdicava até dos menores prazeres, para estar ao seu lado.

Bonito... queria amar assim, é o que todos dizem. Mas, quem está disposto ao sacrifício? Porque amor de verdade, mais cedo ou mais tarde, vai exigir sacrifícios. E o egoista, que não conseguir sacrificar-se, ah, esse não conseguirá amar. No seu caso, será um fogo-fátuo. Uma paixão. Uma loucura.

Porque, amor verdadeiro, tem a magia das coisas perenes. Quando se conquista, não sai mais da gente. Então, não pode acabar. Se acabou, alegre-se. Hora de voltar a buscar, porque o que acabou, era qualquer coisa, menos amor.

Porque amor... ah, amor é soma. Sempre. É a soma do carinho que se tem, do afeto, da cumplicidade, da lealdade, da amizade, do respeito... sim, porque sem respeito as relações humanas inexistem...

amor é o prazer inenarrável da presença do outro, pela qual sacrificamos quaisquer outras alegrias, porque, como disse Rubem Alves, "alegria maior não pode existir..."

e, somando-se a isso tudo uma pitada de paixão... converte-se naquela explosão, que vai perdurar em calmaria quando o fogo da paixão desvanecer.

Mas vai ficar. Porque, amor de verdade... ele sempre fica...

9 comentários:

Texto belíssimo, Vanderlei. Não assino embaixo, pois ali só cabe a sua assinatura. Mas um texto que gostaria de ter escrito. Parabéns e obrigado.

10:41 AM  

Oi, Vander! O amor não acaba, como nada nesse universo, mas se transforma. Um beijo, querido

10:48 AM  

Quando for amar ame de verdade, se entregue sem medo de ser magoado, saiba perdoar e respeitar, sofra e só quando parar de doer e que vai saber que amou de verdade!
beijos.

12:26 PM  

dificil ne entender e falar sobre o amor, mas vc fez muito bem.

bjossss...

12:17 AM  

Bom dia!!
Tenha uma ótima semana
bjss

10:41 AM  

Se quiser variar o tema no Alvinews, fique a vontade.
O texto foi escrito com muito amor.
Abraço

11:53 PM  

O amor está no ar
Preenchendo espaços
Curando feridas...
Não está em mim
Não está em ti
Está em nós

O amor transpõe corpos
Palavras, gestos
E se completa no olhar
Nada oferece...
O amor acontece.

12:09 AM  

Eu sei que vou te amar, por toda minha vida eu vou te amar...

8:57 PM  

"Vander, sossegue, o amor
é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe
o que será." rsrsrs.
beijos

9:21 PM  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial