Blogger Template by Blogcrowds

Sobre quem sou eu

A pergunta mais difcil de ser respondida é, talvez, "quem sou eu". Geralmente, nenhuma das respostas que oferecemos à mesma costuma ser convincente. Nem para nós mesmos. E, porque temos tanta dificuldade em nos definirmos? Possivelmente pelo fato de que não nos conhecemos o bastante. Na Grécia antiga, Sócrates já chamava atenção para a necessidade do autoconhecimento, através de uma frase que ultrapassou os séculos e chegou até os nossos dias em toda a exuberância de sua clareza: "Conhece-te a ti mesmo".

Aparentemente, simples. Mas tão profundo como só as coisas simples conseguem ser. E, por isso mesmo, difícil de ser colocado em prática. Atire a primeira pedra aquele que pode, seguramente, definir-se, sem usar, para isso, de subterfúgios e de meias palavras. Esse é um dos grandes dilemas do ser humano. Mas, será que é realmente possível responder quem somos? Afinal, o ser humano se constrói diariamente. Continuamente. E o que somos hoje, certamente não é o mesmo que fôramos no ontem, tendo em vista que, no hoje, estamos enriquecidos pelas experiências do ontem, da mesma forma que, amanhã, estaremos ainda mais ricos de aprendizado. Então, parece que não existe uma resposta taxativa para designar quem somos. O universo é dinâmico. Tudo progride e o homem não assiste, apenas, à evolução planetária: ele caminha junto e, assim sendo, muda a todo o momento.

E o fato de ser mutável aumenta, consideravelmente, a necessidade do autoconhecimento, para não sermos surpreendidos em situações que possam nos constranger ou àqueles que nos rodeiam. Para não sermos, em momento algum, alcançados pelo remorso, pois ele não chega àquele que é capaz de manter o autocontrole, ainda que nas mais difíceis situações.

O autoconhecimento exige um olhar para dentro. Um encontro com a nossa intimidade, sem receio do seu habitante. Voltando a Sócrates, "sábio é aquele que reconhece os limites da própria ignorância".

Saber quem somos é difícil justamente por isto: é a descoberta fundamental em nossas vidas. É abrir a porta para as grandes realizações do ser. Se fosse fácil, que graça teria?

5 comentários:

Há uma outra frase, que lembrei ao ler o seu texto. É do religioso Jean-Yves Leloup:
"O homem é seu próprio livro de estudo. Basta ir virando as páginas até encontrar o Autor".

Eu amo essa frase...
Bjs

2:48 PM  

Olá venho retribuir a visita e sabe compartilho com você a mesma filosofia que usastes no texto sei que nada sei, a única coisa que conheço e desconheço é que não nos conhecemos.
Seja sempre bem vindo ao meu blog.

3:03 AM  

...A dificuldade maior em nos conhecermos,é que estamos em constante metamorfose!

12:56 PM  

O homem" é uma errata pensante...Cada estação da vida é uma edição que corrige a anterior..."

Machado de Assis.

9:47 PM  

Há um ditado chinês que diz:
> Se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão,
> e, ao se encontrarem, eles trocarem os pães, cada um irá embora com um
> pão. Porém, se dois homens vêm andando por uma estrada cada um
> carregando uma idéia, e, ao se encontrarem, eles trocarem as idéias,
> cada homem vai embora com duas.
> Sempre que possível troque idéias, elas esclarecem, acrescentam, ajudam,
> evoluem... ainda que você não precise, servirão para o outro.
Que bom que posso estar sempre aprendendo um pouquinho com voce
bjao

9:45 AM  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial